Deficiência Intelectual

APAE de Itapetininga/SP: Deficiência Intelectual

Deficiência Intelectual

Segundo conceito da Associação Americana de Deficiência mental, trata-se de um funcionamento
intelectual inferior à média (QI), associado a limitações adaptativas em pelo menos duas áreas de
habilidades (comunicação, autocuidado, vida no lar, adaptação social, saúde e segurança, uso de
recursos da comunidade, determinação, funções acadêmicas, lazer e trabalho), com início antes dos
18 anos.

Em 1995 o simpósio INTELLECTUAL DISABILITY: PROGRAMS, POLICIES, AND PLANNING
FOR THE FUTURE da Organização das Nações Unidas – ONU, altera o termo deficiência mental
por deficiência intelectual, no sentido de diferenciar mais claramente a deficiência mental da
doença mental (quadros psiquiátricos não necessariamente associados a déficit intelectual). Em
2004, em evento realizado pela Organização Mundial de Saúde e Organização Pan-Americana da
Saúde o termo deficiência é consagrado com o documento "DECLARAÇÃO DE MONTREAL
SOBRE DEFICIÊNCIA INTELECTUAL”.

CAUSAS:
As causas da deficiência intelectual são inúmeras e complexas, envolvendo fatores pré, peri e pós
natais. O diagnóstico da causa é muito difícil, englobando fatores genéticos e ambientais, como
quadros genéticos, infecções e drogas na gravidez, dificuldades no parto, prematuridade,
meningites, traumas cranianos, etc.

Em países desenvolvidos, em 42% dos casos não se encontram "pistas" da origem da deficiência;
29% é claramente genética, 19% provavelmente genética e 10% é ambiental.

Existem medidas que podem ajudar a prevenir a deficiência, embora ela possa ocorrer em qualquer
família, independente de idade, sexo, classe social, etc.